Jogo Rápido – Os Vingadores

Decidimos fazer diferente! Afinal de contas, não se trata de um filme qualquer.
Ao invés dos nossos “pitaqueiros” irem comentar a resenha aí de cima, montamos um jogo-rápido entre a gente discutindo os aspectos do filme que merecem destaque.

AVISO: Sabemos que, nessa altura do campeonato, muita gente já assistiu ao filme, mas é sempre gentil de nossa parte alertar que, essa postagem em especial, contém SPOILERS, ok? 😉

História

Lucas:
Souberam começar bem a história, sem muitos rodeios.

Samara:
Bem amarrada. A história prende, cuidando para que o espectador tenha humor e ação
em dose certa. Aliás, ação foi uma das coisas que mais me agradou. Um filme de herói
precisa disso, e precisa o tempo todo. O humor é o típico e esperado. Não morri de
rir como ouvi muitos fazendo no cinema, mas não posso dizer que não gostei, claro.
O filme não ficou devendo. Claro que, como fã, fingi que não vi algumas coisas. E
sugiro a todos que façam o mesmo. São erros mínimos diante de tanta grandiosidade.
Finalmente, posso dizer que vi um filme de herói que me deixou de coração acelerado.
Tanto que já fui ao cinema mais de algumas vezes!

Edgar:
O ritmo da história que me chamou a atenção. Desde o primeiro minuto, a história
engata e, quando menos se espera, chegam os créditos do filme.

Sauxoka:
História?
Não, não… desculpas esfarrapadas para juntar todo mundo e começar uma nova franquia No cinema. Não li o prelúdio (que era pra ter sido lançado antes do filme) mas, Thor
chega do nada, ritmo acelerado e sem muito contexto. Nada além do esperado. Pra mim,
foi literalmente luzes, câmeras e muita ação, aí sim, de ótima qualidade.

Joss Whedon

Lucas:
A ideia de trabalhar com duplas (como ele fazia em Buffy, e em outros seriados em que
trabalhou) funcionou muito bem, não deixando uma coisa “estagnada” e sem ficar enrolando demais.

Samara:
Eu gostava de Buffy. Até então, era praticamente tudo o que eu sabia sobre Joss
Whedon. Aproximando do lançamento, lendo uma coisa aqui e outra ali, descobri algo
que faria toda a diferença: o cara é nerd. Então, o resultado não poderia ser outro. Trata-
se de um fã que fez o que os fãs gostariam de ver. Pelo menos era o que eu queria. E sou grata!

Wagner:
Não conheço a maioria de seus trabalhos. Pelo que ouvi, já era experiente em lidar com
múltiplos personagens “principais”. Fez seu dever de casa: assistiu aos filmes de cada
personagem, detectou e corrigiu seus defeitos mais gritantes e, por fim, acrescentou uma
ou outra cena que os fãs sempre quiseram. Fórmula mágica!
Será que tem peito para uma continuação?

Edgar:
Alguém que consegue tornar o Hulk um personagem carismático tem meus aplausos.
Depois desse filme, o homem praticamente recebe carta branca em Hollywood. Por
mais exagerado que possa parecer, ele é merecedor.

Sauxoka:
Não o conhecia, e não sou estudioso de diretores e não tenho meus prediletos, porém,
me convenceu que sabe fazer ação e fazer personagens interessantes ficarem ainda mais
interessantes e vice-versa. Onde está o Capitão América? Dando ordens aos policiais
para mostrar o quão líder pode ser? Esperava muito mais.

Personagens Principais

Lucas:
Acredito que todos ficaram bacanas (até o Loki, que conseguiu ficar bem fanfarão e
pseudo-maníaco nesse filme!), mas o Thor, ainda assim, ficou um pouco “de fora”, foi o
que menos falou de todos e poderia ter tido um destaque melhor.

Samara:
Bem distribuída, a história não inferioriza personagens. Cada um ganhou o seu lugar,
seu espaço. Os personagens foram bem construídos. Isso por serem baseados, eu diria
de forma até fiel, nos quadrinhos. Tudo muito lindo, inclusive o Thor (eu não poderia
ficar sem dizer isso).

Wagner:
Stark foi o mesmo de sempre. Recebeu um tempo adequado, sem tornar o filme
enfadonho devido às suas nem sempre engraçadas piadinhas.
De onde o Thor surgiu pra ir parar no avião? Sem contar que o achei com a cara meio
inchada (hehehe). Ainda preferiria o Zakk Wylde no papel!
O Capitão América luta para aparecer no meio de tantos personagens (mais)
interessantes.
Talvez pudesse modernizar o personagem ao invés de forçar seu papel de líder do
grupo, como foi feito nesse filme.

Edgar:
O tempo equivalente em tela não desmereceu nenhum dos heróis. Era por aí mesmo que
tinha que ser. Até o fraco do Chris Evans e seu Capitão América “enganaram”.

Sauxoka:
Loki, muito bom. Stark, líder. Hulk, humor e uma dose de Smash. Thor, olha como é a
força de um semi-Deus. Capitão América, parou no tempo. Tinha mais alguém? Não
gostei da Viúva, nem do Gavião e sua flecha fantasma no final do filme. (não lembro de
ter sobrado munição para ameaçar Loki no final.)

Viuva Negra e Gavião Arqueiro

Lucas:
Uma relação bem estranha, eu mesmo achei meio bizarro, mas no final das contas
funcionou…

Samara:
Bem trabalhados, como todos os outros. Eu soube que a Scarlett nunca lutou na vida,
tendo que se esforçar, mais que quem sabe lutar, para fazer as cena de ação. Uau.
Ela foi muito bem. O Arqueiro, que sempre foi sem graça para mim, deu um show de
participação. Além de tudo, tem a relação intrigante entre os dois.

Wagner:
Viúva negra tem lá sua utilidade. É inteligente e luta melhor que o Gavião Arqueiro.
Este, por sua vez, deveria assinar um contrato de exclusividade com os próximos
50 filmes dos Vingadores e parar de tentar arruinar as franquias Bourne e Missão
Impossível!!!

Edgar:
Tinha a grande impressão que eles seriam menosprezados no filme, mas até nisso o
longa acertou e o mais interessante, na minha opinião: mesmo entre tantos super-heróis,
os dois conseguiram também empolgar em suas demonstrações de habilidades.

Sauxoka:
Não gosto de nenhum dos dois, não tem carisma, não me cativaram. Viúva Negra com
uma “pistolinha” no meio da guerra, não. Galera, vão trabalhar nos bastidores e deixem
a linha de frente para os heróis de verdade.

Mark Ruffalo

Lucas:
Foi o que conseguiu ser mais parecido com o Bruce Banner. Queimei minha língua
antes do filme e admito: acertaram em cheio ao substituir o maníaco do Edward Norton
por ele.

Samara:
Surpreendente. Achei que o cara não servia nem pra comédia romântica. Sério mesmo.
Atuou bem e merece ser o Hulk para sempre! 😀

Wagner:
Qualquer ator mediano pode ser o Hulk. Falar meia dúzia de frases, estilo bobo alegre
inteligente… Opa, mas tem um que se encaixa melhor no papel. Adivinhe quem? Pois
é…

Observação: só pra constar, Mark Ruffalo não tem capacidade de segurar um filme
sozinho.

Observação (2): se o Edward Norton fosse o Hulk nesse filme, além da cara de maníaco
depressivo psicopata do mal, ele explodiria tudo com bombas a base de sabonete e diria
frases do tipo “Escutem aqui, vermes. Vocês não são especiais. Vocês não são um belo
ou único floco de neve. Vocês são feitos da mesma matéria orgânica em decomposição
como tudo no mundo” ou até “Primeira regra sobre os Vingadores — você não fala
sobre os Vingadores”. Já pensou?

Edgar:
Ainda bem que o cara tem contrato para seis filmes. Só digo isso.

Sauxoka:
Paguei língua. Mas acho que estou dando créditos muito grandes para ele porque gosto
do Hulk e sua versão Gigante que, finalmente, teve seu papel descontrolado.

Hulk

Lucas:
A surpresa do filme. Tudo o que o Hulk não fez no primeiro filme e tentou fazer no
segundo, ele descontou nesse! Show demais!

Samara:
Mais surpreendente ainda! Fez toda a diferença para que eu considerasse o filme como
ótimo. Apesar de ter seu controle mal explicado, foi um personagem cativante, ao
contrário do que muitos imaginavam (ao contrário do que eu imaginava).

Wagner:
Verde. Surpresa do filme, apesar da confusão sobre o “controle” do Dr. Bruce sobre seu
alter ego.

Edgar:
Antes de o filme começar, era indiferente ao personagem. Precisa dizer que as coisas
mudaram?

Sauxoka:
“Hulk arrebenta?” O que é isso legenda…? Hulk SMASH!

“Deus franzino!”

Lucas:
Melhor comentário que encontre sobre essa parte:
HUAHUAHUAHUAHUAHUAHUAHUAHUA

Samara:
Frase bacana, como tantas outras no filme, e usada na hora certa, como tantas outras no
filme.

Wagner:
Particularmente, não gosto do Loki. Nesse filme, serviu de vilão galhofa e virtualmente
derrotado antes mesmo do começo da peleja. Combina com a temática divertida do
filme, mas deixa uma interrogação na cabeça dos fãs: como serão tratados vilões mais
sérios?

Edgar:
A melhor e mais surpreendente cena do filme.
Sim, sou facilmente impressionável! HAHAHA!

Sauxoka:
Preferi a cena onde o Hulk faz uma cara de indiferença e dá um soco no Thor. Essa sim!
Mas foi legal também, Puny God.

Cena pós-crédito

Lucas:
A aparição de Thanos me lembrou do jogo “Marvel Super Heroes” tanto para CP2
(fliperama) quanto para SNES… hehehe

Samara:
Não são todos que conhecem Thanos. Apesar de identificar o personagem, eu esperava
uma cena mais empolgante.

Wagner:
As cenas não são tão poderosas quanto as dos filmes individuais. Deixa os fãs mais
aficionados com muita esperança, mas não supera a falta de conhecimento prévio da
maioria dos espectadores.

Edgar:
Manteve a tradição, mas, particularmente, queria ver a cena do shawarma!

Sauxoka:
É, vamos ver como o diretor vai tocar a história contra um vilão imortal, um dos maiores e mais inteligentes estrategistas da Marvel, além de ter poderes como telecinese, teletransporte e derivados… E agora, Marvel, o que fazer? Espero que se saiam bem.

E aí? Curtiram? Nós também queremos saber sua opinião. Não sei se repararam, mas no canto direito de cada postagem, tem um balãozinho para comentários! Comentem! Botem a boca no trombone! A ideia do Popeando é justamente essa!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s